domingo, 23 de junho de 2013

Williams 35 anos - Capítulo XXVIII




O grande problema da Williams na temporada passada foi a falta de um motor potente pra fazer frente a Ferrari e McLaren. A Mecachrome acabou saindo e deu lugar a outrs subsidiária da Renault, a Supertec,o que não mudaria muita coisa.Mas a Williams tentava conseguir outra fornecedora de motores pra voltar a ter uma parceria campeã e encontrou a alemã BMW, mas eles só estariam juntos em 2000. Frentzen foi dispensado por ter conseguido apenas uma vitória em dois anos e Villeneuve acaba deixando a equipe pra se aventurar em uma nova equipe em que se tornou sócio, a BAR. Frank Williams, que fora condecorado como cavaleiro da ordem Britânica e agora seria Sir Frank Williams, teria que arrumar dois novos pilotos. E conseguiu rapidamente.


Ralf vinha com desconfiança na F1, muitos diziam que ele estava lá por causa de seu sobrenome: Schumacher. Graças a Michael, Ralf pode seguir a sua carreira e teve no irmão o seu maior incentivador.Após duas boas temporadas na Jordan, ele é contratado por Frank Williams,apostando que a genética o faria ter um Schumacher campeão. Afinal, Assim como Michael, Ralf começou na Jordan e foi pra uma grande equipe. O segundo nome era um nome que não deu certo na F1,foi para Indy e se tornou ídolo por lá e voltou pra confirmar seu status de ídolo mundialmente. Alessandro Zanardi era a continuidade que Frank Williams dava em pilotos que faziam sucesso no EUA. Se Jacques deu certo, quem sabe o Zanardi também dá? Para tê-lo, além de grana, a Williams emprestou a Ganassi seu jovem piloto Juan Pablo Montoya por dois anos. Geoff Willis, Gavin Fischer e Patrick Head criaram o FW21,que tinha mais branco pra deixar de ser confundida com a Ferrari,o que aconteceu muito em 1998. Nos testes de inverno eles confirmaram que o Supertec seria igual ao Mecachrome. O título novamente ficaria difícil,a não ser se um dos pilotos tivessem atuações mágicas nessa temporada.


Na estréia em Melbourne, Ralf Schumacher fica em terceiro e Zanardi bate.Em Interlagos, Ralf consegue um quarto lugar e Zanardi abandona.Ímola, os dois abandonam e Monte Carlo, Zanardi consegue um oitavo lugar e Ralf Abandona.Na Williams mostra-se um grande diferencial de Ralf Schumacher pra Zanardi,sendo que ele pontua em três provas seguidas(Barcelona,Canadá e Magny Cours) e o italiano abandona em todas as provas.Tão acostumado a ter carros competitivos na Indy, Zanardi sofria por ter um carro mediano.E Ralf acostumado a não ter carros maravilhosos fazia bem sua parte beliscando uns pontos.


Silverstone mais um podio de Ralf Schumacher e Zanardi termina em décimo primeiro.Em Zelktweg,as duas Williams abandonam.A disputa seria com a Benetton e a Jordan pelo o terceiro lugar de construtores. Em Hockenheim,mais um quarto lugar de Ralf mas outro abandono de Zanardi,que mostrava um desempenho pior que o de Frentzen em 1998. Hungaroring, Ralf Schumacher em nono e Zanardi abandonou.Spa Ralf em quinto e Zanardi em oitavo. Em Monza, Um segundo lugar de Ralf Schumacher e um sétimo de Zanardi, essa que seria sua melhor posição na temporada.Nas três corridas finais, quatro pontos conquistados, todos por Ralf Schumacher. E o quinto lugar nos construtores, com 35 pontos, todos de Ralf Schumacher, que inclusive conseguiu uma volta rápida.

Zanardi após o final de temporada anunciou que iria encerrar a carreira. Segundo Zanardi,"em 1999 eu estava mentalmente cansado, estragado pelo hábito de ter à minha disposição um carro surpreendente e, talvez, eu não gastei os devidos esforços para iniciar as coisas corretamente.E Ralf Schumacher é tão rápido e tão desagradável."2000 agora vinha com a esperança de que a parceria com a BMW rendesse frutos,em busca da recuperação da sua hegemonia.Nas 24 horas de Le Mans, a Williams estreou sua parceria com a BMW com vitória. E a Williams acreditava que isso fosse um bom presságio para 2000.



7 comentários:

speed.king.thrasher disse...

O Zanardi optou parar de correr? ouvi falar q ele teve o contrato de 2 ano recindido... mas de qualquer jeito ele foi uma merda em 1999.

Ralf sempre beliscando os pódios/pontos e Zanardi braigando lá atrás com o...o... TAKAGI!!! realmente Zanardi é outro Andretti, na indy mito, na F1 mérd...

mais um belo post, parabéns!

Felipão disse...

Essas histórias tinham que virar livro... "Williams, de cabo a rabo"...

Parabéns, Marcão

Fantástico trabalho

Paulo Maeda™ disse...

Realmente, poderia virar uma Biografia de Sir Frank Williams, mto bem Marcos.

E ao Trasher, um pouco de respeito com o Zanardi não seria nada mal.

Ron Groo disse...

Eu pouco me lembrava destes Williams vermelhos... O que me faz lembrar daquela paródia: A cor do coração é cor do patrocinador...
Mas eram bonitos assim mesmo.

gabriel1590lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
speed.king.thrasher disse...

O Felipão ta certo Marcos! vc devia escrever um livro!!! eu comprava!!! suahaushauhauhsa

Quanto ao Paulo... eu respeito o Zanardi, principalmente por seus feitos na Indy, ñ é qualquer um q faz o q ele fez, mas na F1... errr.. deixa pra lá(com todo o respeito, claro!)...

regys_silva disse...

eu acho horrivel o williams de 98,mas o de 99 é SHOW DE BOLA.

Postar um comentário

  ©GP Séries - GO Williams GO! - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo